Igreja Paroquial de São Tiago

Sobranceira ao rio Lucefece, considerado mágico e sagrado desde os tempos pagãos, a igreja de Santiago datará dos últimos anos do século XIII. À sua volta, ao longo do percurso do rio, existiram numerosas azenhas que utilizavam a força motriz da água. Terão sido estes moinhos que deram o nome ao povoado de São Tiago de Rio de Moinhos.
No interior da igreja sepultou-se D. Gonçalo, em 1290, cuja lápide sepulcral, descoberta em 1728, ainda se preserva. D. Gonçalo é um homem desconhecido da História, mas certamente um cavaleiro lavrador proprietário das terras na imediação. O interior desta igreja encontra-se totalmente revestido a pintura mural representando cenas da vida de Santiago, datáveis dos primeiros anos do século XVIII. Estas pinturas de vertente popular representam diversos milagres do santo, numa linguagem catequética dirigida aos habitantes de Rio de Moinhos. No interior também se guarda o antigo cruzeiro, obra arcaica dos finais do século XIII.

Informações Adicionais